Google+ Followers

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Natal em família.

Não sei se todos já sabem, que o Natal na minha família é comemorado no dia 25 e não 24.
Por conta disso no dia 24 à noite fiquei em casa como um dia comum. Nada de tristeza e nada de solidão.
No dia 25 (domingo) fui para a casa de uma das minhas irmãs onde foi a festividade. Lá é bem grande e cabe perfeitamente os quase 40 familiares. Decoração natalina por todo cantinho da casa. Demais até.
A hora mais animada é sempre na hora dos amigos secretos. Dizem tantas coisas engraçadas que resultam em muitas risadas.
Minha mãe presenteia todos os filhos, genros, nora, netos e bisnetos com uma certa quantia em dinheiro. Claro que a melhor quantia é para os filhos.


Muito justo.....rs.
As comidas ?...Um caso à parte. Sempre muitos pratos. Difícil dizer qual o melhor. Quase impossível resistir, principalmente fazendo dieta como estou.
Voltei carregada de presentes, às 2h da madrugada.Foi maravilhoso.



Porta da emtrada.




































segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Pinturas em caminhões.

Vejam que interessante!! Fotos de caminhões europeus cujos reboques foram decorados para parecer que lados estão faltando e os produtos que estão transportando são pintados nas laterais e traseira.


Melhor trabalho de pintura de ônibus
estante com livros

outro caminhão com a frente p/ o para-brisa traseiro




pepsi e todos empilhados no teto..o fundo está vazio
sacola de lona
garrafa de cerveja e parece tão real, que parece que está saindo do trailer!!!! Gostaram?

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Passeio à noite pelo shopping.

Esta época de Natal, todas as cidades ficam bonitas por conta principalmente da iluminação. Eu, particularmente, amo de paixão.
Nestes dias, fui à noite ao shopping perto de onde moro, com pessoas queridas para dar uma olhada em algumas vitrines.
Mas o que mais me encantou foi a decoração das ruas.

Há uns 4 anos, deixei de sair presenteando "todo mundo".


Lembro que um ano, fiquei, até o mês de Março do ano seguinte, pagando prestações dos presentes comprados.

Daí, decidi que só darei presentes a algumas poucas pessoas mais próximas, como exemplo: filhas, mãe, "secretarias", porteiros do prédio, amigo secreto....

Aproveito para desejar a todos vocês, que desfrutem de um FELIZ NATAL agora e, também, durante todos os dias do ano que se avizinha.
Que o clima de sonho se espalhe no ar, que pessoas se olhem com brilho no olhar, já que Natal é tempo de amor.



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Sexalescentes.

Recebi essa mensagem, achei interessante e estou repassando a todos vocês.


"Se estivermos atentos, podemos notar que está a aparecer uma nova classe social: a das pessoas que andam à volta dos sessenta anos de idade, os sexalescentes : é a geração que rejeita a palavra "sexagenário", porque simplesmente não está nos seus planos deixar-se envelhecer.

São homens e mulheres independentes que trabalham há muitos anos e que conseguiram mudar o significado tétrico que tantos autores deram durante décadas ao conceito de trabalho.

Que procuraram e encontraram há muito a atividade de que mais gostavam e que com ela ganharam a vida.
Talvez seja por isso que se sentem realizados...

Alguns nem sonham em reformar-se. E os que já se reformaram gozam plenamente cada dia sem medo do ócio ou da solidão, crescem por dentro quer num, quer na outra.

Disfrutam a situação, porque depois de anos de trabalho, criação dos filhos, preocupações, fracassos e sucessos, sabe bem olhar para o mar sem pensar em mais nada, ou seguir o voo de um pássaro da janela de um 5.º andar...

Neste universo de pessoas saudáveis, curiosas e ativas, a mulher tem um papel destacado.

Traz décadas de experiência de fazer a sua vontade, quando as suas mães só podiam obedecer, e de ocupar lugares na sociedade que as suas mães nem tinham sonhado ocupar.

Esta mulher sexalescente sobreviveu à bebedeira de poder que lhe deu o feminismo dos anos 60.

Naqueles momentos da sua juventude em que eram tantas as mudanças, parou e reflectiu sobre o que na realidade queria.
Algumas optaram por viver sozinhas, outras fizeram carreiras que sempre tinham sido exclusivamente para homens, outras escolheram ter filhos, outras não, foram jornalistas, atletas, juízas, médicas, diplomatas...

Mas cada uma fez o que quis : reconheçamos que não foi fácil, e no entanto continuam a fazê-lo todos os dias.

Algumas coisas podem dar-se por adquiridas.

Por exemplo, não são pessoas que estejam paradas no tempo: a geração dos "sessenta", homens e mulheres, lida com o computador como se o tivesse feito
toda a vida. Escrevem aos filhos que estão longe (e vêem-se), e até se
esquecem do velho telefone para contactar os amigos - mandam e-mails com as
suas notícias, ideias e vivências.

De uma maneira geral estão satisfeitos com o seu estado civil e quando não
estão, não se conformam e procuram mudá-lo.

Raramente se desfazem em prantos
sentimentais.

Ao contrário dos jovens, os sexalescentes conhecem e pesam todos os riscos.
Ninguém se põe a chorar quando perde: apenas reflete, toma nota, e parte
para outra...

Os maiores partilham a devoção pela juventude e as suas formas superlativas,
quase insolentes de beleza ; mas não se sentem em retirada.

Competem de outra forma, cultivam o seu próprio estilo...

Os homens não invejam a aparência das jovens estrelas do desporto, ou dos que ostentam um fato Armani, nem as mulheres sonham em ter as formas perfeitas de um modelo.

Em vez disso, conhecem a importância de um olhar cúmplice, de uma frase
inteligente ou de um sorriso iluminado pela experiência.

Hoje, as pessoas na década dos sessenta, como tem sido seu costume ao longo
da sua vida, estão a estrear uma idade que não tem nome.

Antes seriam velhos e agora já não o são.

Hoje estão de boa saúde, física e mental, recordam a juventude mas sem nostalgias parvas, porque a juventude ela própria também está cheia de nostalgias e de problemas.
Celebram o sol em cada manhã e sorriem para si próprios...

Talvez por alguma secreta razão que só sabem e saberão os que chegam aos 60
no século XXI ..."

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Pudim

P U D I M (Marta Medeiros)

Não há nada que me deixe mais frustrada
do que pedir Pudim de sobremesa,
contar os minutos até ele chegar
e aí ver o garçom colocar na minha frente
um pedacinho minúsculo do meu pudim preferido.
Um só.

O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções,de prazeres meia-boca,de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.

Conquista a chamada liberdade sexual,mas tem que fingir que é difícil
(a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado,mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.

Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo,mas tem medo de fazer papel ridículo.

Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD,esparramada no sofá,mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar',tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga:
um pudim inteiro
um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order',
uma caixa de trufas bem macias
e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente.
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago.

_._

“Há noites que eu não posso dormir de remorso por tudo o que eu deixei de cometer.”

(Mário Quintana)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Aniversário cunhado.

Desta vez, foi o aniversário do meu cunhado, marido da minha irmã mais nova. Não poderia deixar de ter mais uma reunião familiar.



Minha irmã reclama que não pode nem convidar os amigos do marido porque a casa não dá, por conta da nossa família ser mais ou menos grande.



Se todos comparecerem, somos em 30 pessoas.
Nem vou escrever muito, basta olharem as fotos para vocês terem uma ideia de como foi tudo.








quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Chá da tarde

Uma sobrinha tomou a iniciativa e marcou um chá com as mulheres da nossa família. A casa de chá chama-se Bocca Bistro.
São 40 itens de iguarias para a gente se servir à vontade. Tem de um tudo. Imagina ai o estrago!! rs.
Casa lotada. Para estacionar o carro, foi uma dificuldade.
Mesmo assim, valeu o encontro. Estar com a família é um dos melhores programas, como sempre digo aqui.





segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Brigadeiros

De vez em quando, fazer uma extravagância é perdoável. Não vamos ser tão rígidos assim, não é mesmo?
Pois bem, o que acham de comer uns brigadeiros a mais ? Para quem gosta de doces, como eu, é um sacrifício fazer brigadeiros e não prová-los.

Acredito que todo mundo saiba fazer, mesmo assim, segue a receita mais prática que conheço:
o doce é feito com com leite condensado, margarina e chocolate em pó. Coloca-se tudo em uma panela e leva-se ao fogo até soltar bem do fundo da panela. Retira-se e coloca-se num prato untado de manteiga para esfriar um pouco. Quando estiver morna a massa, untar as mãos com manteiga e fazer as bolinhas. Passam-se em confeitos bem pequeninos ou chocolate granulado. Colocam-se em forminhas de papel.

Hoje já fazem brigadeiros enfeitados com pistache, castanha, gengibre e muitas outras coisas. De qualquer maneira eles ficam deliciosos.

Há poucos dia, no programa da Ana Maria Braga ela deu a seguinte receita de brigadeiro de avelã: ½ xícara (chá) de leite

2 colheres (sopa) de cacau em pó

2 colheres (sopa) de açúcar

1 colher (sopa) de margarina

400g de chocolate ao leite picado

¾ xícara (chá) de avelã moída


MODO DE PREPARO
Numa panela coloque o leite, o cacau em pó, açúcar, a margarina e o chocolate ao leite picado e leve ao fogo médio, mexendo sempre, até desprender do fundo da panela (aprox. 5 minutos). Retire do fogo e deixe esfriar.
Adicione a avelã moída à mistura de chocolate (feita acima) e misture bem. Transfira a mistura de chocolate com avelã para um prato untado e leve para gelar por mais ou menos 2 horas.
Com uma colher, pegue pequenas porções de massa, faça bolinhas e passe na avelã moída (ou granulado). Sirva em seguida.
Dica 1:Para fazer o brigadeiro de colher, assim que o chocolate derreter desligue o fogo e coloque em copinhos ou taças.
Dica 2:Você pode substituir as avelãs por amendoim, castanha de caju, nozes, avelãs descascadas ou castanhas do Pará.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Nogueira Boulangerie

Gosto muito de conhecer lugares novos.
Desta vez, fui com duas irmãs e uma amiga para a "Nogueira Boulangerie", que desde o mês passado está com uma filial no bairro da Aldeota
(Rua Eduardo Garcia, 637).
Foi fundada por um casal de portugues, conquistando uma clientela que continua a prestigiar a famosa casa de pães e doces portugueses, em que merecem destaque os “Pasteis de Nata”.
É um local bem simpático e valeu ter conhecido
.
















segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Aulas de dança.

De um tempo para cá, tenho sofrido de insônias.
Quando menos espero, lá estou eu sem conseguir dormir. Rolo de um lado, de outro...e nada. Quando vejo que não vou conseguir dormir, levanto e tomo a metade de um comprimido para dormir. Mas, evito ao máximo.
Pensando nisso, resolvi fazer aulas de dança de salão, à noite.
A turma é pequena e por isso, aproveita-se melhor.
Se vocês pensam que não cansa, estão enganados. Tem dias que termino a aula suada.
É maravilhoso chegar em casa cansada, tomar um banho e deitar.
Nem imaginem como durmo bem nesses dias!!



quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Aniversário da Angela

Tirar uma folga no trabalho e ir almoçar com uma amiga querida em plena 2a feira, é bom demais.


Foi o que fiz dia 21, aniversário da minha amiga de colégio, Ângela.
Chegando ao local combinado, tive a surpresa de encontrar outras amigas. Éramos um grupo pequeno, mas que foi muito bom nos reunir.


Ângela
Mãe e filha
Irmãs.